Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se
 

POLÍTICAS DO PORTAL

Atualizações pelo whatsapp

 
 

Nós | Notícias | Cadernos | Contribua | Blogs

 
quarta-feira, 17 janeiro, 2018 - 20h41 | A OUTRA COLUNA

A culpa é nossa

A culpa é minha e eu coloco ela em quem eu quiser! A expressão lapidar do eminente Homer Simpson©, resume o estado de coisas que ocupam os mais requintados assentos de Brasília. Não foi ninguém, ninguém viu, ninguém sabe de nada. Nós todos inclusive

Esse Brasil Cover está segurando as pontas de uma convulsão social e o governo preocupado em aumentar alíquotas e amargando a queda na arrecadação
A culpa é nossa - Esse Brasil Cover está segurando as pontas de uma convulsão social e o governo preocupado em aumentar alíquotas e amargando a queda na arrecadação | ilustração/Google Maps

No último dia 15, o título de uma matéria da Agência Brasil me causou um profundo desconforto, desapontamento e uma vontade imensa de roer o cotovelo. O título tenebroso dizia: - "Maia defende pacto entre Congresso e governadores para agenda de reformas". A falta do elemento principal nessa frase, deveria mexer com nossos brios, nos encher de vergonha pois como sempre e com a nossa aceitação tácita, estamos de fora das decisões.

De todos os problemas do Brasil, o mais grave é a falta de interesse da população, pagadora de impostos sem o devido retorno, sem saúde, sem transporte, sem segurança, sem saneamento básico, sem infraestrutura e sempre esperando a tal da sexta-feira, para afogar as mágoas na cerveja e forrar a pança com aquele churrasco no quintal.

O clima é de pré guerra civil, mas não acontece nada. Excetuando-se as calamidades no Rio de Janeiro, que roubam a paz dos cariocas que na sua maioria esmagadora trabalha muito mais do que os paulistas, por conta da intensiva exposição na mídia, o resto do país vive a mais absoluta "PAZ" e a vida continua.

Há um Brasil que sustenta o Brasil

O estopim dessa bomba não detonou porque há milhões de brasileiros que ao invés de bater panela, queimar pneu e assemelhados, se vira para fazer o dinheiro circular, que é justamente o que cria riquezas.

Enquanto os governos em geral, não conseguem mais honrar seus compromissos com máquinas administrativas inchadas e pouco operacionais, esse Brasil quase subterrâneo está circulando a riqueza e sonegando impostos, claro.

O Brasil Cover, compra, vende e troca e só não está nas estatísticas porque não há como fazer estatística do que não aparece.

Tudo o que você encontra em um supermercado está disponível nessa imensa rede de comércio, tudo o que você encontra em um shopping, também.

Gasolina eu ainda não vi, mas é provável que tenha vendedores, mas o resto......

Esse Brasil Cover está segurando as pontas de uma convulsão social e o governo preocupado em aumentar alíquotas e amargando a queda na arrecadação.

Miopia administrativa e política

O Brasil sempre engessou o empreendedorismo, as leis e condições são sempre muito restritivas, a meta é sempre arrecadar tributos, muito antes de a própria riqueza ser gerada. A lógica continua sendo a da Colônia e Metrópole e o povo, que no geral dá as costas para esse excesso de vigilância e restrição acaba por transformar o mercado em paralelo.

E no meio disso também nasce o que se alcunhou de "crime organizado", onde se poderia ler "Estado ausente".

"Maia defende pacto entre Congresso e governadores para agenda de reformas" e o povo continua de fora.

Leia outras Notícias

Pedro Reis é jornalista, ambientalista e artista plástico. Editor do FarolCom e do FarolCom Inteligência

Artigos | A Outra Coluna | Cidadania & Política

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.