Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Instituto Eu Quero Viver
quinta-feira, 23 maio, 2013 10:21

Pena da falta de pena no Brasil

Elza Fiúza/ABr
Em pleno cenário atual, o número de estupros vem aumentando! E o que acontece com estes seres? Nada. Não no Brasil

É uma pena. É uma pena de morte que não chega. É a pena que não é cumprida. É a pena das vítimas destes monstros. Na verdade, a pena que tenho é deles mesmo.

De serem tão isentos de alma que consigam fazer isso com uma pessoa. E o pior de tudo é que na realidade, eles são apenas homens, criados numa sociedade onde a mulher é objeto, e portanto, “permitindo” que o estupro seja cometido e repetido, e repetido, e repetido em nossa sociedade.

Em pleno cenário atual, o número de estupros vem aumentando! E o que acontece com estes seres? Nada. Não no Brasil.

Novamente lembro da Índia, onde sua população parou o país por causa de um caso desses. Aqui, mal se ganham forças algumas páginas de rede social. E aí eu volto a perguntar: onde está a pena para o estuprador? Para o ser que se diz homem, que entra em um ônibus, e com uma arma apontada para a cabeça de uma mulher, a obriga a satisfazê-lo sexualmente na frente de uma série de outras pessoas? Para o que se diz homem que desvirgina uma moça em uma van de transporte público, ou que espanca o namorado de outra enquanto assiste um (ou vários) coleguinhas explorarem a moça?

Onde está a pena, governantes? Onde está a resposta para que finalmente essa onda repugnante, deplorável no sentido mais inato da palavra, cesse e permita com que as mulheres andem com um pouco mais de tranquilidade em suas próprias vizinhanças? Onde está aplicação correta dessa legislação, Brasil? Porque tudo que vemos são os números aumentando e aumentando e absolutamente NENHUM responsável do governo vindo a público responde-los.

Pena? Só se for dos brasileiros. Essa nação esquecida não por Deus, mas pelos seres aqui da Terra mesmo. Pena eu sinto de todos nós que não nos levantamos pela manhã e ao invés de irmos para mais um dia normal de trabalho, paramos as ruas e avenidas como os indianos fizeram. Pena eu não tenho das vítimas. Eu tenho dessa propagação de uma violência sem precedentes contra a mulher, que está acontecendo desde o bairro mais pobre até o mais nobre das cidades. Pena eu tenho da impunidade de “pessoas” que seguem normalmente com suas vidas criminosas, enquanto sonhos, intimidades e delicadezas de garotas de todo o país são destruídas sem a menor piedade.

Pena precisamos sentir daqueles que estupram dezessete mulheres por DIA APENAS no Rio de Janeiro (de acordo com o Profissão Repórter de 14/05/13). Pena precisamos sentir dos milhares de silenciadores de casos de estupro, que usam de ameaças e pressão para não deixarem suas vítimas se exporem. Pena precisamos sentir daqueles que manipulam de tal forma que as vítimas (de crianças à idosas) nem mesmo entenderam que passaram por isso. Pena a gente sente do aumento de mais de 168% de casos de estupro no Brasil nos últimos cinco anos, como mostraram vários noticiários virtuais. E mais pena ainda precisamos sentir daqueles que cometeram esses crimes e que jamais serão presos ou punidos por isso.

É uma pena também que nas escolas, programas de tv e afins, ainda se preze pela segmentação de gênero e se incentive ainda essa política de estupro, onde se culpa a vítima. Onde a roupa define. Onde o local que se frequenta é determinante. É disso que eu tenho pena. Tenho pena é da falta de pena do Brasil.

Leia outros artigos de Dannie Karam
Dannie Karam tem cinco nomes enormes, mas espalha seus textos com um e meio. Já estudou em dezesseis escolas, morou em quase dez cidades, e já rasgou mais de trezentas poesias. Transita entre oito e oitenta, mas só costuma bater o pé por uma ou duas coisas. Criou com três amigas o Pipoca, Pimenta e Poesia. Vive mergulhada em milhares de folhas amassadas e acha que nasceu pra letras. Odeia esse negócio de números... E aceita assinantes em sua página do facebook

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest