Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Ambiente | Energia | Lixo | Água | Mariana

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
sexta-feira, 13 novembro, 2015 - 21h00

Justiça de Minas Gerais bloqueia R$ 300 milhões da Samarco

O dinheiro deverá ser usado para reparar os danos causados às vítimas da tragédia. O magistrado diz que a quantia é compatível “com a extensão do dano" e cita os resultados financeiros da Samarco: R$ 7,5 bilhões de faturamento em 2014 e lucro líquido de R$ 2,8 bilhões

   

A Justiça de Minas Gerais determinou hoje (13) o bloqueia de R$ 300 milhões na conta da mineradora Samarco, responsável pelas duas barragens que se romperam no último dia 5, na zona rural de Mariana.

O dinheiro deverá ser usado para reparar os danos causados às vítimas da tragédia.

A decisão é do Juiz Frederico Esteves Duarte, da Comarca do município mineiro.

A onda de lama que se formou com o rompimento das barragens destruiu o distrito de Bento Rodrigues, na zona rural de Mariana, e chegou a outras regiões de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Sete corpos foram identificados e 18 pessoas estão desaparecidas. Mais de 600 moradores da região ficaram desabrigados. A Samarco é controlada pelas mineradoras Vale e BHP.

Antonio Cruz/ Agência Brasil
Buscas continuam em Bento Rodrigues, distrito de Mariana(MG) | Antonio Cruz/ Agência Brasil
Buscas continuam em Bento Rodrigues, distrito de Mariana (MG)

De acordo com a nota publicada no site do tribunal, a decisão decorre de ação civil pública foi proposta pelo Ministério Público (MP) do estado, que qualifica as vítimas como “vulneráveis afetados por desastres ambientais”. O MP diz ainda que mais de 500 pessoas estão desabrigadas e hospedadas em hotéis e casas de terceiros. Informa ainda que cerca de 180 imóveis foram destruídos em Bento Rodrigues.

Na decisão, o juiz afirma que a Lei 6.938/1981, que define a Política Nacional do Meio Ambiente, estabelece que o dever de indenizar independe da investigação jurisdicional quanto à existência da culpa. “Por indícios, a responsabilidade civil da requerida (a Samarco) para com a população atingida pelo desastre ambiental, mais cedo ou mais tarde virá à tona, tomando-se em consideração a conexão entre o fato e o dano”, disse o magistrado na decisão.

O juiz diz ainda que a questão requer cuidado para que a mineradora não seja “demonizada” diante da “intensa comoção social”. Segundo Frederico Esteves, a empresa é uma companhia regularmente estabelecida há anos e “que, no cumprimento de seu objeto social, gera empregos diretos e indiretos e tributos, revelando-se como importante player das economias local, regional e brasileira”.

Ao destacar o valor do bloqueio, R$ 300 milhões, o magistrado diz que a quantia é compatível “com a extensão do dano" e cita os resultados financeiros da Samarco: R$ 7,5 bilhões de faturamento em 2014 e lucro líquido de R$ 2,8 bilhões.

Em nota, a Samarco diz que “ainda não foi oficialmente notificada da decisão mencionada”

Corpo da sétima vítima da tragédia em Mariana é identificado

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou hoje (13) que foi identificado o sétimo corpo de vítima do rompimento das barragens de Fundão e Santarém, em Mariana, Minas Gerais.

Marcos Aurélio Moura trabalhava para a empresa Produquímica, prestadora de serviço da Samarco, responsável pelas barragens que se romperam. A Samarco é controlada pelas mineradoras Vale e BHP.

Mais dois corpos aguardam identificação no Instituto Médico-Legal (IML). Dezoito pessoas continuam desaparecidas – nove funcionários da mineradora e nove moradores.

As barragens que se romperam, no último dia 5, ficam no distrito de Bento Rodrigues, na zona rural de Mariana. A onda de lama que se formou destruiu o distrito e alcançou outras cidades de Minas Gerais e do Espirito Santo, impedindo o abastecimento de água em municípios por onde passa o Rio Doce. Mais de 600 pessoas ficaram desabrigadas.

reproduzido da Agência Brasil

Veja outras notícias sobre:

Desastre Ambiental em Mariana

Caderno Meio Ambiente

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest