Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Ambiente | Energia | Lixo | Água | Mariana

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
quarta-feira, 25 novembro, 2015 - 20h31 | TRAGÉDIA EM MARIANA

Valadares e Colatina retomam captação no rio Doce

O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, disse hoje (25) que os municípios de Governador Valadares, em Minas Gerais, e Colatina, no Espírito Santo, já estão captando e tratando a água do Rio Doce para garantir o abastecimento à população

   

Segundo Occhi, apesar de ainda haver muita lama, os laudos indicam que a água está apropriada para consumo humano.

“Quero passar essa segurança. Ninguém seria irresponsável de autorizar [a distribuição da água] se nela houvesse algum risco para a sociedade”, disse o ministro.

De acordo com Occhi, como a chuva pode revolver a lama que está acumulada e comprometer a qualidade da água, o monitoramento é feito em vários pontos de captação e em vários momentos do dia.

Ele informou que, em Governador Valadares, a cada dois ou três dias, a captação é interrompida para limpar a lama da estação de tratamento. Segundo o ministro, a mineradora Samarco executará no município um projeto para captar água do Rio Suaçuí Grande, que deságua no Rio Doce.

Elza Fiúza/Agência Brasil
Ao lado da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o ministro da Integração, Gilberto Occhi, fala sobre as ações para enfrentar impactos do rompimento da barragem de rejeitos da Samarco | Elza Fiúza/Agência Brasil
Ao lado da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o ministro da Integração, Gilberto Occhi, fala sobre as ações para enfrentar impactos do rompimento da barragem de rejeitos da Samarco

No dia 5 de novembro, cerca de 62 milhões de metros cúbicos de lama com rejeitos de minério vazou do rompimento de uma barragem da mineradora Samarco no município de Mariana, em Minas Gerais. A lama que escorre pelo Rio Doce atingiu o mar no domingo (22).

Occhi informou que 15 cidades em Minas Gerais e três no Espírito Santo foram atingidas, em geral cidades pequenas, de até 4 mil habitantes. As maiores são Governador Valadares, que tem 290 mil habitantes, e Colatina, com 120 mil. O ministro disse ainda que 250 homens do Exército estão nas duas cidades para dar segurança e apoio na distribuição emergencial da água, até que se regularize a situação.

A mineradora Samarco, com apoio dos estados e prefeituras, fará um levantamento dos trabalhadores que tiravam seu sustento do Rio Doce para, segundo Occhi, fazer o ressarcimento mensal para as famílias. O valor a ser pago ainda será definido, mas o ministro diz que, para os atingidas em Mariana, a mineradora pagará um salário mínimo mais 20% para cada membro da família.

Occhi participou nesta quarta-feira do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.

Agência Brasil

Veja outras notícias sobre:

Desastre Ambiental em Mariana

Caderno Meio Ambiente

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest