Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Instituto Eu Quero Viver
domingo, 11 novembro, 2012 23:10

China supera expectativa para 2012

Kevin Connors
Os indicadores do Produto Interno Bruto de 2012 devem chegar ao patamar de no mínimo 7,5%

O Partido Comunista chinês anunciou nesta semana que a tendência de diminuição do ritmo da economia no país foi superada.

Os líderes do partido garantiram que até dezembro a previsão do início do ano será realidade: a economia do gigante asiático vai atingir a meta esperada.

Os indicadores do Produto Interno Bruto de 2012 devem chegar ao patamar de no mínimo 7,5%.

Números bem significantes para um país que, embora comunista, também foi afetado pela crise do euro. Mesmo com otimismo na recuperação econômica, o governo chinês afirmou que é preciso ter cautela, pois o mundo está envolvido pela crise.

Os caminhos da estabilização estão traçados, mas ainda são tortuosos. Um dos fatores que colaboraram para essa retomada foi crescimento de 11% nas exportações, acumulados nos últimos cinco meses. Hoje a China é considerada a segunda maior economia do planeta, atrás apenas dos Estados Unidos. Caso essa estabilização se consolide nos próximos exercícios, o país asiático poderá atingir o topo em pouco tempo.

Na última sexta-feira, o site britânico The Guardian, divulgou uma avaliação da Organização pela Cooperação Econômica e de Desenvolvimento (OECD) que prevê que a economia chinesa deve ultrapassar até o fim do ano a de todos os países da zona do euro juntos. E em quatro anos, ficará provavelmente à frente dos Estados Unidos.

A OECD afirmou que o PIB mundial vai aumentar 3% nos próximos 50 anos e, que em 2025, o PIB da China somado ao da Índia será maior que o combinado de países como EUA, Grã-Bretanha, Alemanha, França, Japão, Canadá e Itália.

Para o Brasil a notícia é boa, visto que tem na China seu maior parceiro comercial. Essa união serviu para que o Brasil aumentasse seu PIB, no entanto, fica com a economia muito dependente. O desaceleramento chinês afeta igualmente o país, que também vem enfrentando um crescimento econômico abaixo da média em 2012.

Se as previsões estiverem certas, o governo brasileiro deve manter o bom relacionamento com a China para que, com o tempo, o país também venha a atingir posições ainda maiores no cenário mundial.

Leia outros artigos de Fillipe Alves Fillipe Alves especial para o FarolComunitário

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest