CaldoQuantico   Holopraxis   CQL   CreSentes   DNAtos   PARCEIROS   EXPEDIENTE   ANUNCIE   PRIVACIDADE E USOS  
   
CAPA | GERAL | CADERNO 1 | CADERNO 2 | CADERNO 3 | CADERNO 4 | BLOGS | LINKS ÚTEIS
Saúde

MG tem sete municípios em alerta contra a dengue

Levantamento de índice de infestação também revela que caixas vasos, lajes, piscinas e ralos são criadouros predominantes nessas áreas

O Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), divulgado nesta quinta-feira (24) pelo Ministério da Saúde, revelou que no estado de Minas Gerais há sete municípios em situação de alerta. Os dados demonstram a importância da continuidade das ações de prevenção e combate para evitar que o cenário evolua para a situação de risco de surto.

Em Minas Gerais, 24 cidades realizaram o levantamento e enviaram os dados para o Ministério da Saúde. Do total, 17 apresentam índices satisfatórios (abaixo de 1% de infestação): Araguari, Belo Horizonte, Betim, Conselheiro Lafaiete, Contagem, Divinópolis, Ibirité, Itabira, Juiz de Fora, Montes Claros, Patos de Minas, Pedro Leopoldo, Sabará, Santa Luzia, Teófilo Otoni, Uberaba e Uberlândia. Outras sete cidades estão em situação de alerta (índice de infestação entre 1% e 3,9%): Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Ipatinga, Ribeirão das Neves, Sete Lagoas, Timóteo e Vespasiano.

Entre os municípios em alerta, depósitos domiciliares como vasos, pratos, bromélias, ralos, lajes e piscinas são os criadouros predominantes do mosquito. Em Araguari, Ipatinga, Patos de Minas, Sabará, Santa Luzia e Vespasiano o lixo (resíduos sólidos) é o local preferido pelos insetos. O estudo também confirmou que há áreas em situação de risco em locais cuja média o inclui no grupo que deve se manter em alerta. É o caso de Governador Valadares, com áreas com até 4,9% de infestação, e Timóteo, com até 4,1%.

Para as ações de combate à dengue no estado de Minas Gerais, o Ministério da Defesa disponibilizou um efetivo de 200 militares (150 do Exército e 50 da Aeronáutica). O treinamento será fornecido pelo Ministério da Saúde. Para todo o país, o efetivo disponível é de 2.271.

METODOLOGIA - O LIRAa tem como objetivo identificar com antecedência as áreas de maior risco de formação de criadouros do mosquito transmissor. Os resultados permitem o planejamento e a intensificação de ações de combate ao vetor da doença, assim como as atividades de mobilização, comunicação e de educação.

Neste ano, 161 municípios de todo o país participaram do levantamento. São cidades que se enquadram nos critérios: capitais e municípios de regiões metropolitanas; municípios com mais de 100 mil habitantes; e municípios com fluxo de turistas e de fronteira.

Para ser realizado, o município é dividido em grupos de 9 mil a 12 mil imóveis com características semelhantes. Em cada grupo, também chamado estrato, são pesquisados 450 imóveis. Os estratos apontam três situações: até 1% de infestação, significa que o município está em condições satisfatórias; de 1% a 3,9% indica situação de alerta; e superior a 4% aponta risco de surto de dengue.

Resultados em Minas Gerais (2007 x 2008)

Análise da situação em 2008

Atendimento ao cidadão

0800 61 1997 e (61) 3315 2425


20/11/2008
Agência Saúde

FarolCom no Pinterest
Brasil no Google Maps
Tudo sobre o HIV e a AIDS
http://www.soropositivo.org 
Meteorologia