CaldoQuantico   Holopraxis   CQL   CreSentes   DNAtos   PARCEIROS   EXPEDIENTE   ANUNCIE   PRIVACIDADE E USOS  
   
CAPA | GERAL | CADERNO 1 | CADERNO 2 | CADERNO 3 | CADERNO 4 | BLOGS | LINKS ÚTEIS
Saúde

Cirurgia pioneira no Into ajuda a combater tumor na coluna

Em homenagem ao Dia Nacional de Combate ao Câncer, 27 de novembro, o Instituto divulga números recentes dos casos de tumor ósseo


O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), órgão do Ministério da Saúde, é pioneiro, no Brasil, a realizar cirurgia de tratamento ao câncer da coluna cervical, utilizando acesso cirúrgico transoral (por meio da cavidade oral). O assunto foi destaque no 40° Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia (CBOT), realizado entre os dias 13 e 15 de novembro deste ano, em Porto Alegre (RS).

No Into, a cirurgia de acesso transoral é feita com uma técnica inovadora: através da utilização de próteses de estabilização (uma espécie de placa). Segundo o ortopedista especializado em cirurgia de coluna e chefe do Centro de Trauma Raquemedular do Into, Luís Eduardo Carelli, a vantagem do uso da prótese é fixar a operação em um menor número de vértebras possíveis, preservando um maior movimento do paciente e diminuindo as seqüelas pós-operatórias.

Carelli esteve, no começo do mês de outubro, na Alemanha para ministrar aula sobre a técnica, ainda pouco conhecida no país europeu. O processo cirúrgico ajuda a combater tumores, além de minimizar compressões na medula espinhal, fraturas e luxações na coluna vertebral.

O CBOT reuniu os principais profissionais da área médica de ortopedia e traumatologia de todo o país, com cerca de 500 palestrantes, nacionais e internacionais, e apresentação de 750 trabalhos científicos.

TUMOR ÓSSEO – O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) oferece tratamento a paciente com câncer. Em 2007, o Centro de Oncologia Ortopédica realizou 166 cirurgias em pacientes portadores de tumor ósseo e teve 1.847 atendimentos ambulatoriais no setor. Atualmente, há cerca de 400 pessoas aguardando por procedimentos cirúrgicos e o tempo de espera é, em média, de cinco meses.

No setor, que atende pacientes de todas as faixas etária, o tipo de tumor mais freqüente é o osteocondroma (uma espécie de caroço que nasce no osso), que é benigno e tem indicação cirúrgica. É mais comum no joelho e o principal sintoma é o aumento de volume na área atingida. Já o osteosarcoma é o tipo de tumor maligno mais freqüente. O tratamento indicado é a quimioterapia seguida de cirurgia. Nos dois casos, é necessário recorrer a transplantes com enxerto ósseo.

BANCO DE OSSOS – O banco de ossos do Into, criado em 1989, é o maior em capacidade do país para armazenamento e processamento de material. A equipe do banco de ossos do Into tem condições de captar e processar cerca de 60 doações por mês. No entanto, foram recebidas apenas 11 doações em 2007 e oito este ano, até o mês de outubro. No Brasil, existem seis bancos de ossos. Atualmente, existem cerca de 1.400 pessoas aguardando por esse tipo de transplante na fila do Instituto. Vale lembrar que um único doador pode beneficiar entre 30 e 35 pacientes
.

01/12/2008
Perfil Comunicação - Marketing e Assessoria de Imprensa



FarolCom no Pinterest
Brasil no Google Maps
Tudo sobre o HIV e a AIDS
http://www.soropositivo.org 
Meteorologia