CAPA | CIDADES | EVENTOS | ARTIGOS | AÇÕES AFIRMATIVAS | LIVROS | QUALIDADE DE VIDA | AGRO | ESPECIAIS | VIAJAR
VIVER BEM | ENDEREÇOS | VÍDEOS | FOTOS | AUTOS | SAÚDE | CULTURA | EDUCAÇÃO | CIÊNCIA | MEIO AMBIENTE | ENERGIA | LIXO

METEOROLOGIA| QUEIMADAS | SINE | PROCON UBERLÂNDIA | DEFESA CIVIL | CEMIG | DMAE | CEP | CTBC | DETRAN'S | CINEMAS

FALE CONOSCO | EXPEDIENTE | ANUNCIE

Saúde
 
 
 
Inca
 
   
     
  Leia mais em:

Dia Mundial sem Tabaco 2009
(AINDA MUITO ATUAL)

 

Mundo comemora hoje Dia de Combate ao Fumo

segunda-feira, 31 maio, 2010 14:48

O Dia Internacional de Combate ao Fumo é comemorado hoje (31/05). Uma data importante que serve para chamar atenção das pessoas que alimentam o vício do cigarro. De acordo com dados do Ministério da Saúde, só no Brasil, a cada ano, 200 mil pessoas morrem por doenças relacionadas ao tabagismo. No mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), oito mil pessoas morrem diariamente devido ao hábito de fumar. Aproximadamente 94% das mortes por câncer de pulmão em adultos estão relacionadas ao cigarro.

Segundo o pneumologista do Hospital e Maternidade MadreCor de Uberlândia, Dr. Ricardo Diniz, na fumaça do cigarro estão presentes mais de 4 mil substâncias químicas nocivas à saúde. “As mais conhecidas são a nicotina, o alcatrão e o monóxido de carbono”, diz. Ainda segundo o especialista, mais de 60 dessas substâncias são reconhecidamente cancerígenas, além de irritantes e tóxicas ao pulmão.

Diniz explica que os fumantes têm 10 vezes mais chances de ter câncer do pulmão; cinco vezes mais chance de sofrer de infarto, bronquite crônica e enfisema pulmonar; e duas vezes mais de sofrer derrame cerebral.

O tabagismo e o fumo passivo ocupam, segundo a OMS, respectivamente 1ª e 3ª posições do ranking de causas de mortes evitáveis. Pesquisas já comprovaram que a pessoa que convive com fumantes, também é prejudicada pela fumaça, aumentando a chance do aparecimento de inúmeras doenças pulmonares como bronquite crônica, enfisema pulmonar e câncer de pulmão.

O hábito de fumar também aparece associado a doenças cardiovasculares e vários tumores.

“É importante que a pessoa que tenha o hábito de fumar o abandone o quanto antes”, alerta o pneumologista. Segundo o cardiologista do Hospital e Maternidade MadreCor, Dr. João Lucas O´Connell, em qualquer momento da vida existe benefício em parar de fumar. Depois de mais ou menos 10 anos sem fumar, o risco de infarto passa a ser próximo ao da população de modo geral. “Quem abandona o hábito de fumar previne-se das doenças do pulmão, coração e artérias em geral; respira melhor; melhora o paladar e o hálito; e melhora a qualidade e quantidade de vida”, acrescenta o médico.

Érica Magalhães
MF Comunicação

Brasil no Google Maps