Contribua   Assine   ou Acesse nossa campanha no Apoia-se

Nossos sites

Parceiros

Expediente

Políticas do Portal

Contribua para manter o Parque Nacional Serra da Capivara | Patrimônio Mundial pela Unesco
GERAL CADERNO 1 CADERNO 2 CADERNO 3
CADERNO 4 BLOGS LINKS ÚTEIS METEOROLOGIA

| Dengue, Zika e Chikungunya no Caderno Saúde |
A sociedade mobilizada para vencer essa luta

Saúde

Ecopontos, Feiras-Livres e outros serviços em Uberlândia
sexta-feira, 11 novembro, 2011 21:48

Alimentação saudável e atividade física previnem e controlam o diabetes

 
 
 
Allan Campos
 
   
  Paciente é atendida nos centros integrados Hiperdia  
     

O Dia Mundial do Diabetes é celebrado nesta segunda-feira (14) e, para reforçar a data, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) faz o alerta sobre um problema de saúde pública presente em todo o mundo e com incidência crescente, sobretudo nos países em desenvolvimento. A faixa etária de maior prevalência é a partir dos 40 anos e quanto mais velha a população, maior a prevalência dessa enfermidade.

Essa situação é particularmente importante, pois a tendência de envelhecimento das populações brasileira e mineira é crescente. Diante deste cenário, a secretaria criou a rede Hiperdia, que tem como objetivo ampliar a longevidade da população, por meio de intervenções capazes de diminuir a morbimortalidade por doenças cardiovasculares e diabetes.

De acordo com o coordenador estadual do programa Hiperdia, Aílton Cezário Alves, só será possível reduzir o número de casos de diabetes se houver um processo de promoção da saúde e do controle dos fatores de risco modificáveis para o desenvolvimento da doença, como o tabagismo, álcool, sobrepeso e obesidade, que podem ser controlados com a prática de uma alimentação saudável e o combate ao sedentarismo.

O programa da secretaria é responsável por coordenar a estruturar a Rede de Atenção à Saúde dos portadores de hipertensão e diabetes de Minas, além das da Atenção Primária à Saúde, tais como a elaboração de novas diretrizes clínicas baseadas na estratificação de risco dos hipertensos e diabéticos e a organização da assistência.

Tipos de diabetes
Estima-se que em Minas cerca de 10% da população acima de 20 anos de idade sejam acometidas pelo diabetes, ou seja, cerca de 1.345.000 pessoas. Os tipos mais frequentes são: o diabetes tipo 2, que compreende cerca de 90% dos casos e o diabetes tipo 1, conhecido como diabetes juvenil, que compreende cerca de 10% do total de diabéticos. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, estima-se que 60% a 90% dos portadores do diabetes do tipo 2 sejam obesos.

O diabetes tipo 2 é cerca de 8 a 10 vezes mais comum que o tipo 1, e o paciente pode responder ao tratamento com dieta e exercício físico. Em alguns casos, pode ser necessário o uso de medicamentos orais ou a combinação deles com insulina. Os principais sintomas são: infecções frequentes, visão embaçada, dificuldade na cicatrização de feridas, formigamento nos pés e furunculose.

Uma das peculiaridades do diabetes tipo 2 é a contínua produção de insulina pelo pâncreas. O problema está na incapacidade de absorção das células musculares e adiposas. Por muitas razões, suas células não conseguem metabolizar a glicose suficiente da corrente sanguínea, acarretando "resistência insulínica".

Já o diabetes tipo 1 é uma doença autoimune, caracterizada pela destruição das células beta produtoras de insulina. Isso acontece por engano, porque o organismo as identifica como corpos estranhos. A sua ação é uma resposta autoimune. Este tipo de reação também ocorre em outras doenças, como esclerose múltipla, Lupus e doenças da tireóide.

Quem tem este tipo de diabetes precisa tomar injeções diárias de insulina para regularizar o metabolismo do açúcar, pois sem a insulina, a glicose não consegue chegar até as células, que precisam da insulina para queimar e transformar o açúcar em energia. Também é importante manterem uma alimentação saudável e realizar atividades físicas. As altas taxas de glicose acumulada no sangue, com o passar do tempo, podem afetar os olhos, rins, nervos ou coração.

Pessoas com níveis altos ou mal controlados de glicose no sangue podem apresentar: vontade de urinar diversas vezes, fome frequente, sede constante, perda de peso, fraqueza, fadiga, nervosismo, mudanças de humor, náusea e vômito.

Centros Hiperdia
Para a composição e o fortalecimento dessa rede, a secretaria prioriza a implantação de centros de Referência Secundária em Hipertensão e Diabetes, os centros Hiperdia. Eles têm como objetivo prestar assistência especializada aos portadores de Diabetes Mellitus, doenças cardiovasculares, hipertensão arterial e doença renal crônica.

Os centros são de referência microrregional e atendem aos usuários encaminhados pela atenção primária à saúde. Já são nove centros em funcionamento, nos seguintes municípios: Janaúba, Brasília de Minas, Jequitinhonha, Santo Antônio do Monte, Patrocínio, Itabirito, Itabira, Juiz de Fora e Viçosa. A previsão é sejam inaugurados até dezembro deste ano mais dois centros Hiperdia, em Patos de Minas e Santa Luzia.

Acesso aos medicamentos
A Saúde também disponibiliza para os diabéticos medicamentos para o tratamento da doença e também insulinas, fitas reagentes, glicosímetros, que auxiliam no auto-monitoramento da doença. Alguns hipoglicemiantes orais também são distribuídos pelo Estado, por meio do Programa Farmácia de Minas.

Para ter acesso a esse tipo de remédio, o portador de diabetes deve procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência, onde receberá orientação de como ter acesso gratuito aos remédios e insumos prescritos pelo médico.

Outras informações em http://www.saude.mg.gov.br/politicas_de_saude/hiperdia-mineiro

via Agência Minas
http://www.agenciaminas.mg.gov.br

Leia também:

Alimentação saudável e atividade física previnem e controlam o diabetes

Mobilização social colore Uberlândia de azul

Novembro Azul vai alertar sobre o diabetes

Diabetes Gestacional recebe acompanhamento e tratamento especial

Creatina ajuda a controlar glicemia em diabéticos tipo 2

Alunos com diabetes e intolerância à lactose terão merenda escolar diferenciada

5,5 milhões de brasileiros terão doença que mais cega no mundo

Material jornalístico de uso livre segundo as atribuições específicas de cada fonte exceto quando especificado em contrário. Fotos e textos podem pertencer a autores diferentes, sempre devidamente identificados. Créditos das fotos devem ser preservados. Nenhuma das fontes mantém qualquer vínculo comercial ou de outra ordem conosco. Em caso de dúvida, consulte. Leia também nossos Termos de Uso e Serviço | Preços, prazos, links e demais informações podem sofrer alteração e correspondem ao dia em que o material foi publicado sendo de responsabilidade da fonte original.

Documento sem título
Considere contribuir com nosso trabalho

Últimas no FarolCom

Veja também

FarolCom no Twitter

FarolCom no Pinterest

Tudo sobre o HIV e a AIDS Soropositivo.org